De Segunda a Sexta, 300 palavras por dia.

17
Set 08

Os Deuses lançaram os dados e o resultado foi favorável à espécie humana. Em diversos pontos de Gaia, alguns humanos sentiram um aumento súbito de força, resistência e intelecto. Tornaram-se líderes de grupos de humanos e assim o poder do Homem sobre os outros animais manifestou-se, seguindo a vontade dos Deuses.
Num pedaço de terra junto ao local onde em tempos habitaram os Atlantes, havia uma região conhecida como Terras de Cervaria, terra de belos cervos comandados pelo Rei Cervo. Um grupo de humanos coexistia naquela terra e um deles sentiu o acordar de um ser mais antigo mesmo dentro de si. A primeira coisa que fez foi competir com os da sua espécie para se mostrar soberano. Depois passou a medir forças com cervos e por fim desafiou o próprio Rei Cervo. Desafio aceite!
O choque entre os dois guerreiros fez vibrar as nuvens no céu e parou o correr do rio, conta-se que todos os sons, além da batalha, deixaram de existir. Gaia esperava pelo resultado da batalha. Sangue de homem, sangue de cervo, terra, metal, hastes, dor e ossos esmagados. A espada de ferro arrancou um olho ao Rei Cervo, em resposta o homem deixou de ter cincos dentes da sua boca. A batalha durou horas, o Rei-Cervo venceu para morrer ferido e exausto. O seu restante olho ficou a reflectir as primeiras estrelas que surgiram.
Homens e Cervos da região ficaram desprotegidos, sem ninguém para assumir a liderança, pareciam estar completamente perdidos.
Como é que iriam intimidar os vizinhos da outra margem do rio? A solução foi criar um espantalho gigante com a forma do Rei Cervo e colocá-lo no alto do monte que os acolhia e ainda hoje podem encontrar uma versão desses espantalho na terra que agora é conhecida como Vila Nova de Cerveira.

publicado às 12:02
Autoria::

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO