De Segunda a Sexta, 300 palavras por dia.

16
Out 08

O Carlinhos ia para a escola quando sentiu uma terrível fome, que desgraça tinha acabado de comer o pequeno-almoço... Simplesmente parecia que um portal tinha sido aberto no seu estômago e toda a comida tinha sido sugada para outra dimensão.

Sem dúvida o que caía bem era um cachorro quente, verificou os bolsos e nada de dinheiro. Aos treze anos é complicado termos dinheiro no bolso. Nesse momento passou um caniche a passear, chamou-o, confirmou se ninguém o estava a ver e devorou-o. Sorriso maléfico para o ar e gritou "A partir de hoje sou o Puto Zombie!". É o que dá ver filmes de terror de série B.

Para experimentar os seus novos poderes mordeu um gato, que também se tornou zombie.

Chegou à escola cheio de sangue nas roupas, mas as auxiliares de acção educativa sabem que os putos estão sempre na brincadeira uns com os outros e nem disseram nada. Apareceu o Tiago:

- Hey Carlos estás todo cagado de sangue, levaste nos cornos?

- Nope. Comi um cão. Lembras-te que ontem estava pálido e cadavérico?

- Sim.

- Tornei-me um zombie.

- Muito fixe.

- Também queres ser um?

- Pode ser, as miúdas devem gostar.

Uma dentada foi suficiente para passarem a existir dois zombies na escola. Número este que foi aumentando, principalmente depois do jogo do "Bate Pé". Quando chegou a hora da aula de educação física a turma do Carlos já era toda constituída por Zombies adolescentes.

Começaram pelo aquecimento, mas ao chegarem às flexões decidiram comer o professor, este percebeu a situação e fugiu cobardemente.

Quando o professor de educação física chegou à porta de saída sentiu uma dor na perna, foi o gato zombie que perfurou a pele dele com os seus dentinhos zombie, a partir daí mais um ficou com uma fome enorme e foi procurar comida.

publicado às 00:01
Autoria::

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO