De Segunda a Sexta, 300 palavras por dia.

18
Nov 08

Passou a vida a esperar:

Sete meses para nascer, seis anos ler, dezoito para amar e a vida avançar.

Durante a sua espera, à sua volta, vozes alucinadas anunciaram:

O mundo vai acabar! O mundo vai acabar! Deus castigará os maus e salvará os bons! O mundo vai acabar! O mundo vai acabar!”

Passou então a esperar que o mundo acabasse.

“O mundo vai acabar e o não terminarei o sexto ano”, pensou ela, pesarosa.

O mundo… não acabou e a escola… continuou.

“O mundo vai acabar e não terminarei o décimo segundo ano”, pensou ela, desconfiada que andava enganada.

O mundo não acabou e na universidade ela entrou.

“O mundo vai acabar e morrerei virgem”, pensou ela em pânico.

O mundo não acabou e a vida avançou.

Então ela pensou:

“O mundo não vai acabar mas a morte irá chegar.

Vou então viver e tudo na vida absorver…”

Mas, todos à volta lhe diziam:

O mundo vai acabar, ó mulher de pouca fé!

Os ímpios irão sucumbir, apenas os justos viver!”

Romper com tal ciclo foi difícil.

Arrancou o seu primeiro grito de liberdade com suor, lágrimas e sangue. O seu nome rolou pela lama. E jurou a si mesma: “Jamais mentirei!” e nunca mais bateu às portas.

Conheceu o Amor, a Esperança nasceu e a Vida avançou mas a Espera recomeçou.

Esperou por ele para almoçar, para jantar, para a abraçar e para a amar.

Esperou por um olhar, por um toque e por uma palavra.

Cansada,sentido-se mais uma vez enganada, voltou a pensar: “A morte irá chegar, tenho que a aproveitar a vida!”

Arrancou o seu segundo grito de liberdade, agora com lágrimas, ódio e raiva. A si mesma jurou: “Homem algum me matará!”.

Agora, espera abraçar a vida

e que a morte demore!

 

publicado às 00:01

2 comentários:
Enquanto houver estradas para andar, a gente não vai parar.
Anónimo a 18 de Novembro de 2008 às 11:14

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO