De Segunda a Sexta, 300 palavras por dia.

17
Fev 09

Quando teve força, divorciou-se mas não conseguiu enterrar o passado. Ela bem que tentava, mas sempre que o fazia, deixava uma pontinha solta e, bastava uma pequena distracção e lá estava ele, o Tal, a assombrar a sua Vida, tornando-a insuportável.

Ela queria voar, mas o lastro do Passado prendia ao solo.

Olhou para dentro de si e procurou incansavelmente pelas razões pelas quais não conseguia largar o lastro incómodo, diria mais, doloroso e desnecessário.

Gastou horas do seu Tempo.

Perdeu a sua Paz.

E não conseguiu.

Ele, o Tal, continuava a sua assombração, impedindo-a de ser feliz.

Tentou tudo:

Calmantes;

Anti-depressivos;

Estupefacientes;

Álcool;

Boxe;

Kickboxing;

Gritar no meio do nada;

Comer ameixas verdes;

Dança;

Corrida;

Sexo;

Meditação;

Reiki;

Yoga

e nada, nada lhe aliviava o peso do passado. 

Forçava-se a pensar no mal que o Tal lhe tinha feito.

Tentava acreditar que tinha sido ela a não querer viver assim.

Sempre que pensava nele, obrigava-se a gritar a si mesma: Pára!!!! 

O pior era mesmo à noite, quando não tinha controle sobre os seus sonhos: o Tal povoava-lhos e estragava-lhe o descanso.

Ela bem sabia, não se conseguia enganar, tinha a plena consciência, que não era o Tal que lhe fazia isso. Ela tinha a noção que era a sua Mente sem Paz que lhe pregava estas partidas.

Ontem na praia, ao calor morno da tarde, ela encontrou uma garrafa de gargalo largo e lá dentro conseguiu colocar:

O Tal;

O casamento;

A traição que engoliu;

As mentiras que ouviu;

O desprezo que sofreu;

O egoísmo e

A indiferença de que foi vítima e

O desespero que quase a levou à

Morte. 

Rolhou a garrafa e lançou-a ao mar. 

Espera agora que a Paz chegue.

 

publicado às 00:01

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO