De Segunda a Sexta, 300 palavras por dia.

06
Mar 09

Nos esgotos da Grande Cidade houve uma revolução política silenciosa, todas as criaturas que lá habitavam decidiram pôr um ponto final na imundice local. O slogan da revolução inicial era: basta de merda! Na sociedade dos esgotos, o título hierárquico mais alto é “Rei Rato”, uma posição actualmente ocupada por uma barata de nome Dragonball, algo que irritava profundamente as ratazanas mais nojentas.

 

Dragonball apostava numa distribuição igualitária de lixo por toda rede de esgotos e numa postura essencialmente democrática. Para ele todos os habitantes dos esgotos mereciam o seu respeito. A maior crítica da oposição sempre foi a das boas relações que mantinha com os habitantes da Grande Cidade, coisa que ele fazia por ser benéfica para aqueles a quem devia a suprema responsabilidade. Para as ratazanas mais nojentas isso não fazia qualquer sentido, os esgotos podiam apostar num sistema interno de produção do seu próprio lixo e exportá-lo para outros esgotos. Como a força dos argumentos não era suficiente, decidiram apostar na força dos números e fizeram uma aliança com os crocodilos dos esgotos (poucos mas bons). Debates e mais debates, apenas mantiveram a boa reputação de Dragonball que como boa barata se esforçava por defender as suas posições recorrendo apenas à razão e ao seu imitável sorriso.

 

 

A manhã das eleições correu como esperado, a barata renovou o seu mandato, o pior veio depois. Um exército de ratazanas invadiu a zona da presidência e esborrachou o Dragonball, deixando os sues líquidos internos ao ar. O novo poder determinou que o poder das Ratazanas é supremo, o cargo de “Rei Rato” é exclusivo para ratazanas puras de sangue, nenhum ser dos esgotos pode colocar as regras em causa e a pena por desobediência é o esborrachamento público. Obviamente que as alianças com a Grande Cidade mantêm-se porque isso fazia entrar dinheiro e o novo “Rei Rato” não quer ser um pobretanas.

publicado às 09:43
Autoria::

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO